Sala de Imprensa > Notícias > Espírito Santo é o Estado mais eficiente na aplicação da Lei Anticorrupção, diz pesquisa
Postado em: 2 de agosto de 2018

Espírito Santo é o Estado mais eficiente na aplicação da Lei Anticorrupção, diz pesquisa

Uma pesquisa apontou que os Estados que aplicam a Lei Anticorrupção (12.846/2013) ainda são minoria no país. De acordo com o levantamento, apenas seis estados e o Distrito Federal instauraram processos administrativos para apurar possíveis ilícitos cometidos por empresas contra a administração pública. O destaque ficou para o Espírito Santo, que se mostrou o mais eficiente na aplicação da legislação, respondendo por mais de 70% do total de punições.

O estudo foi realizado pelos advogados Luiz Francisco Mota Santiago Filho e Louise Dias, da Tauil & Chequer, em São Paulo, que levantaram os dados com base na Lei de Acesso à Informação. Os resultados foram publicados nesta quinta-feira no jornal Valor Econômico.

Segundo a pesquisa, que considerou os dados até janeiro/2018, os estados haviam instaurado 87 processos com base na Lei Anticorrupção – sendo 38 no Espírito Santo –, e 21 empresas foram condenadas, sendo 15 pelo governo capixaba.

O Espírito Santo foi o primeiro a criar uma estrutura administrativa para a aplicação da legislação e o primeiro a multar. Até julho deste ano, a Secretaria de Estado de Controle e Transparência (Secont) já instaurou 46 processos administrativos de responsabilização e publicou 16 condenações, totalizando 20 empresas punidas e mais de R$ 3,4 milhões em multas.

Para o secretário da Secont, Marcos Pugnal, o resultado do estudo comprova que a estruturação realizada no Estado trouxe resultados positivos no enfrentamento à corrupção. “A grande importância desse trabalho, realizado pela equipe de auditores do Estado, é justamente de criar uma cultura de integridade e reafirmar que o Espírito Santo não é um terreno fértil para que empresas atuem de maneira ilícita”, ressaltou.

O subsecretário de Integridade Governamental e Empresarial, Rafael Grossi, observou que o Espírito Santo saiu na frente e a tendência é a aplicação da legislação se ampliar nos demais estados, já que muitos deles têm buscado informações de como se estruturar para isso. Ele acrescentou que a população também pode participar, por meio de denúncias na Ouvidoria-Geral do Estado (www.ouvidoria.es.gov.br) ou pelo aplicativo Fiscal Cidadão, disponível gratuitamente para Android e iOS.

A pesquisa completa será divulgada pela editora LEC, em evento marcado para o dia 13, na seccional da OAB do Estado do Mato Grosso, que tratará sobre os cinco anos da Lei Anticorrupção.

 

A PESQUISA

Aplicação da Lei Anticorrupção nos Estados e DF (dados até janeiro/2018)

Estados e DF

Processos

Empresas envolvidas

Empresas condenadas

Multas aplicadas

Espírito Santo

38

60

15

R$ 3.130.724,99

Distrito Federal

3

15

0

R$ 0

Maranhão

8

8

1

R$ 4.366.453,88

Mato Grosso

20

58

0

R$ 0

Mato Grosso do Sul

1

1

0

R$ 0

Minas Gerais

15

31

3

R$ 608.016,54

São Paulo

2

4

2

R$ 3.459,84

Total

87

177

21

R$ 8 milhões

 

Fonte: Pesquisa realizada por profissionais da Tauil & Chequer Advogados e publicada no Valor Econômico. Dados até 29 de janeiro/2018.

 

Lei Anticorrupção do Espírito Santo (dados até julho/2018)

– 196 denúncias registradas

– 46 Processos Administrativos de Responsabilização (PAR) instaurados, em desfavor de 82 empresas

– R$ 3.476.911,03 em multas aplicadas

– 16 condenações, em desfavor de 20 empresas

– 24 PARs em andamento

– 4 absolvições/improcedência dos fatos; 1 PAR suspenso e 1 revogado em razão de decisão judicial

 

Informações para a imprensa: 

Assessoria de Comunicação da Secont-ES
E-mail: flavia.martins@secont.es.gov.br
Telefone: (27) 3636-5354 / (27) 98895-1695
www.secont.es.gov.br

Mais informações sobre o CONACI:

Xaene Pereira
Assessora de Comunicação
E-mail: comunicacao@conaci.org.br
Telefone: (51) 98195-1911